'Tudo que tenho hoje devo à Juma', diz atriz Cristiana Oliveira no The Noite desta terça-feira

03/04/2018🌐Jorge Gondim

Na madrugada desta terça-feira, 03 de abril, Danilo Gentili recebe Cristiana Oliveira no The Noite. A atriz fala na entrevista sobre sua carreira, sua peça “Feliz Por Nada” e relembra momentos marcantes de sua trajetória. “A Juma me eternizou. Ou eu vou me sentir mal por causa disso e achar que só consideraram essa personagem importante, ou eu sou grata”, diz ela sobre a personagem da novela Pantanal. “Meu irmão falava que sabia que eu seria atriz, porque eu mentia muito e mentia bem (quando criança)”, declara a convidada, que também fala sobre as palestras motivacionais que dá por todo o país: “A minha praia é a autoestima mesmo. Que é a auto aceitação”.
 Foto: Gabriel Cardoso/SBT

Confira outras frases de Cristiana: 


Fugi com 16 anos. Eu era muito livre, muito independente. (...) Meus pais ficaram um mês sem saber de mim. Eu precisei ser mãe pra entender o que eu fiz com meus pais. 

Queria ser jornalista e consegui me formar. Antes surgiu uma viagem para a Europa como modelo. 

Queria fazer a Juma, me apaixonei pela Juma. Eles queriam Cláudia Ohana, Glória Pires, mas elas estavam na Globo. O Jayme (Monjardim) falou: "você já se olhou no espelho? Seu olhar é doce (para interpretar Juma)". Eu falei "Jayme, você não me conhece". 

Eu sabia que a Juma era minha. Tinha que ser minha. Fiz daquele jeito que era muito intuitivo. 

Tudo que eu tenho hoje eu devo à Juma. Tenho um quadro (em casa). Da Juma com espingarda, com a onça. 

As pessoas falam "Cristiana Oliveira tá sempre com cara de quem acabou de acordar". Eu tenho um problema de alergia, que incha o olho.

Ainda hoje, o apresentador conversa com o doutor em Direito Penal, Promotor de Justiça e professor da USP Roberto Livianu. Ele fala sobre seu livro “Corrupção e direito penal: um diagnóstico da corrupção no Brasil” e dá sua opinião a respeito do cenário político atual. “O Brasil, lamentavelmente, tem um histórico de corrupção que passa pelos séculos. É cultural. Acabar não acaba, mas diminuir sim, desde que haja planejamento e se trabalhe para diminuir as oportunidades”, diz ele, que continua “Quem faz as leis, faz para se proteger. Temos uma crise de representação política”. Sobre a Operação Lava Jato, ele afirma: “é um ponto fora da curva. Vem sendo premiada internacionalmente como case de sucesso no combate à corrupção”.


THE NOITE
Nesta terça, logo após o Cine Espetacular

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ESQUADRÃO DA MODA Bailarina com visual desleixado será abordada pelo Esquadrão da Moda

Cabrini entrevista homem que foi ponto de partida da Lava Jato

SBT Online atinge 5 milhões de incritos no YouTube